Archive for the ‘Internet’ Category

Coisa primordial quando se elabora qualquer texto, especialmente quando ele se destina a divulgar ou comentar alguma notícia, é cuidar para que ela (a notícia) seja a mais correta possível. Para que isso ocorra, o autor não precisa dar um copy/past, ele pode sim ofertar a sua interpretação pessoal da notícia, desde que essa interpretação […]


Em muitas ocasiões, o Direito não anda de mãos dadas com a Justiça; quando isso ocorre, defendo ferrenhamente que esta última permaneça, já que enquanto ela é uma aspiração universal, ele é apenas um conjunto de regras escritas e não escritas que hipoteticamente falando, tornaria a primeira mais próxima dos seres humanos. Gostaria de convidar […]


Vi um artigo na revista ‘Visão Jurídica’ (edição n.º 57) que contém muitos aspectos com os quais não concordei. O título da matéria (que, inclusive, é a matéria de capa) é ‘Blacklists ilegais’. Resumidamente, o autor do artigo diz que: – Como no Brasil ninguém é obrigada a nada senão em virtude de lei e […]


Um trabalhador da Nokia conseguiu que nossos Tribunais aceitassem a troca de e-mails como prova do excesso de trabalho à que era submetido. A decisão é da lavra do juiz Gustavo Farah Corrêa, da 54ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, condenando a empresa a pagar uma série de benefícios para o trabalhador, além […]


Hoje, quando vi a notícia veiculada na BBC, onde se noticiava a criação de um game que estava sendo utilizado para que as pessoas fossem conscientizadas dos efeitos que uma guerra podem causar ao mundo, somada à postagem de amigo Amadeus XIII (que propunha uma discussão relativa à influência de jogos eletrônicos – games – […]


Um amigo compartilhou comigo uma notícia veiculada no Gizmodo (que, aliás, recomendo). Durante a leitura, senti aquele conhecido calor da indignação corar minha face, dado o absurdo jurídico com o qual me deparei. Um juiz indiano resolveu aceitar os (ainda) duvidosos resultados de um exame feito com o EEG para, com base SOMENTE neles, condenar […]


Meus amigos, meus verdadeiros amigos, sabem que, por natureza, confiava facilmente nas pessoas; todavia, tal pré-disposição de espírito (de julgar as pessoas por mim mesma) mudou: por força de algumas pessoas e circunstâncias, hoje sou desconfiadérrima. De um lado, isso pode ser bom, livra-me, em parte, da possibilidade de ser facilmente enganada por pessoas de […]