Archive for the ‘Educação’ Category

Experimente chamar a polícia para alguma coisa; ao ver o carro estacionado na frente da tua casa, geralmente os vizinhos pensarão ‘o que fulano fez’. Aqui impera a cultura do ‘culpado até prova em contrário’, quando, na verdade, deveria imperar o ‘in dúbio pro reu’. Na esteira desse pensamento, o público, que não entende nada […]


Vi um artigo na revista ‘Visão Jurídica’ (edição n.º 57) que contém muitos aspectos com os quais não concordei. O título da matéria (que, inclusive, é a matéria de capa) é ‘Blacklists ilegais’. Resumidamente, o autor do artigo diz que: – Como no Brasil ninguém é obrigada a nada senão em virtude de lei e […]


Que a educação no Brasil está em estado de calamidade pública, todos sabemos: gente saindo do ensino médio semi-analfabeta (ou analfabetos funcionais, como se costumou dizer), sem dominar as quatro operações básicas (só conhecem duas: ‘msn-orkut’); bacharéis em direito que não passam numa prova simples como a da OAB/SP (apesar do que dizem, é ela […]


Imagine a seguinte situação: uma moça estava dentro de uma ‘lotação’ dirigindo-se para o trabalho quando outro passageiro, não resistindo a seus encantos, resolveu roubar-lhe um beijo. Enfurecida com a ação dele, ela deu-lhe um tapa no rosto, vários supetões e cravou-lhe as unhas no pescoço. O beijoqueiro desistiu do intento e tentou escapar, mas […]


Há uns dias atrás assisti a reportagem do CQC (Custe o que custar) que denunciava a existência de não só funcionários fantasmas como uma Secretaria toda, de uma prefeitura de um município no Estado de São Paulo. Dita secretaria chamava-se ‘Secretaria Municipal de assuntos religiosos’ (dá uma olhada no nome) e, a bem da verdade, […]


Trata-se de uma questão espinhosa: se, por um lado, não há como negar que existem diferenças físicas entre os homens e as mulheres; por outro, há o princípio da isonomia, que garante tratamento jurídico igualitário entre os sexos. Em razão deste princípio, o Tribunal Superior do Trabalho acabou por decidir que o artigo 384 da […]


Os mais velhos têm certa razão, com relação à alguns ditados, o constante no título desta postagem é um exemplo de ditado corretíssimo (note o superlativo). Veja se não: o desembargador Paulo Inácio Dias Lessa, presidente do Tribunal de Justiça do Mato Grosso determinou o urgente re-estabelecimento do pagamento aos magistrados da verba conhecida como […]