Futebol, ‘caixinha de pandora’

27fev11

Há um jargão que diz que ‘futebol é uma caixinha de surpresas’; às vezes, futebol se torna uma ‘caixinha de pandora’. E nem me refiro, com isso, aos crimes cometidos por membros de algumas torcidas organizadas ou pelo fato desse esporte acabar criando ‘semi-deuses’ que acham que podem tudo. Antes refiro-me a escândalos de outro nível: aquele em que até os resultados eram manipulados.

Sim, estou falando do que ficou conhecido como ‘máfia do apito’, onde alguns faziam do esporte uma fonte de renda ilícita (manipulavam os jogos para poderem ganhar dinheiro com um sistema de apostas em sites). Quer saber mais? Clique aqui.

A boa notícia veio da Justiça, que condenou o ex-árbitro Edilson Pereira de Carvalho e a Confederação Brasileira de Futebol ao pagamento de uma multa de R$ 160 milhões. Ainda cabe recurso contra esta decisão, de forma que esse dinheiro ainda pode demorar muito a ser pago por eles (se essa condenação for confirmada, claro).

Se você, leitor, curte tomar sua cervejinha enquanto assiste o jogo no Domingo, fique tranqüilo, nada disso te afetará. Mas se você é daqueles que morre pelo seu time, que gasta rios de dinheiro em camisetas e souvenir, que deixa todo seu salário na mão do cambista para assistir a um jogo….bom, aí é diferente: saiba que futebol é mais um negócio do que um simples esporte. E, como um produto, o futebol sempre será explorado como um meio de arrancar dinheiro do consumidor (você).

Continue lendo >>>