Ted Bundy: psicopata ‘boa-pinta’

31jul08

Ted Bundy

Nervos à flor da pele

Malgrados todos os esforços, minha mente não conseguiu imaginar algo mais assustador do que serial killers. Os crédulos ou fãs do terror (Stephen King) – encontro-me nesta categoria – diriam que demônios, fantasmas e monstros são piores. Discordo: serial killers são pessoas reais e pessoas reais podem machucar outras.

O por falar no mestre, os livros do Stephen que mais gostei tratam de perigos reais, causados por pessoas reais e que podem atravessar o caminho de qualquer um: como você e eu.

Claro que até falando de pessoas reais, Stephen ainda coloca uma pitada de ‘paranormalidade’ na ‘coisa’, só para assustar ainda mais. Exemplos são os livros ‘Rose Mad’ (que trata de um psicopata cuja única e preferida vítima é a esposa) e ‘It’ – um dos meus prediletos (que trata de assassinatos em série). Quem não se lembra da sombra de terror que pairava sobre Derry no verão de 1958? Dezenas de desaparecidos: todos crianças. Toque de recolher na cidade, todos olhando por cima dos ombros à espera de um ataque, sem, no entanto, imaginar quem seria o inimigo ou a próxima vítima?

O pior de assassinatos em série é que a ausência de informações abalam os nervos das pessoas: o assassino pode ser qualquer um – até seu vizinho – o clima de desconfiança é geral, e, neste contexto, chegar à histeria é muito fácil.

Continue lendo >>>

Anúncios