Crivella versus Gabeira

21mar08

 Crivella lavagem cerebral

A disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro parece que será acirrada. Um dos candidatos, Marcelo Crivella, ligado à Igreja Universal e que tem o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lidera a disputa, com 18,5% das intenções de voto. Em seguida, aparece o secretário de Esportes, Eduardo Paes, com 12,7%. Os dados da pesquisa foram publicados nesta sexta-feira no jornal “O Globo”. ( Que tema você quer ver ser discutido nas eleições municipais? )

Nesta reportagem, Crivella afirma que, mesmo sem uma definição clara do PMDB – que pode apoiar a candidatura do deputado federal Marcelo Itagiba no lugar de Paes – o quadro está consolidado, aproveitando o ensejo, o deputado afirmou que:

“….O Gabeira não consegue coagular as propostas de todo esse bloco de candidatos. Além do mais, ele defende aborto, homem com homem e maconha. Essas coisas são fortes”

Ora, ora, pois, pois!

Por primeiro, deixo bem claro que discordo totalmente deste ‘ad hominem’ que os políticos teimam em fazer: que diabos as opiniões pessoais de um candidato tem a ver com sua capacidade administrativa? O fato de Fernando Gabeira ter opiniões próprias e firmes sobre a questão da homossexualidade e da discriminalização da maconha não implica, necessariamente, que ele não tenha capacidade de administrar bem aquela cidade.

Em segundo lugar, se tal fosse permitido, o que se diria de um homem que defende um livro cruel como a Bíblia, afirmando que ele é sagrado e contém bons ensinamentos?

A Bíblia ensina que homossexualidade é prática pecaminosa? Sim, e, tendo de obedecer o livro, por óbvio que qualquer cristão teria de abster-se da prática, haja vista que toda a escritura teria de ser obedecida.

Mas observe, leitor, o que mais ensina o livro:

– Deus ensina aos israelitas para matar, sem clemência, todos os habitantes (estranhos) das terras que eles conquistam. Deut 7:2

– Deus matará aqueles que o aborrecem. Deut 7:10

– Os profetas e sonhadores serão executados se disserem ou sonharem as coisas erradas. Deut 13:1-5

– Se seu irmão, filho, filha, esposa, ou amigo tentar você para que adore outro deus, “com pedras o apedrejarás, até que morra”. Deut 13:6-10

– Nas cidades que Deus “dará na tua mão” você matará todos os machos (incluindo os velhos, meninos, e bebês) com “fio da espada, salvo as mulheres… que tomarás para ti.” Deut 20:13-14

– “Porém, das cidades destas nações, que o SENHOR, teu Deus, te dá em herança, nenhuma coisa que tem fôlego deixarás com vida.” Mate os velhos, os doentes, as grávidas, as crianças e bebês. Deut 20:16

– Se você achar um morto e não sabe a causa da morte, então adquira junto dos anciões, a cabeça de uma novilha. Lave suas mãos em cima do corpo, e diga: “As nossas mãos não derramaram este sangue.” (Deste modo está tudo bem!) Deut 21:1-8

– Se você tiver um filho teimoso e rebelde, então você e os outros homens de seu bairro o apedrejarão até que ele morra. Deut 21:18-21

– “A mulher mais mimosa e delicada” será forçada a comer as suas próprias crianças. Deut 28:56-57

Bom leitor do presente e eleitor do Rio de Janeiro, se as crenças e opiniões pessoais de um candidato devem ser levadas em conta no momento do voto, o que você prefere? Um candidato que defende do direito de outras à homossexualidade (ato que, hipoteticamente falando, segundo a doutrina da bíblia, poderia prejudicar apenas a própria pessoa) ou outro que defende um livro com tão elevados preceitos morais?

Fonte: Globo on line

Anúncios


4 Responses to “Crivella versus Gabeira”

  1. 1 Bia

    É incrível como as pessoas não sabem e nem sequer procuram entender e passar o que é certo sobre a Bíblia. Texto lamentável.

  2. Haddammann Veron Sinn-Klyss
    haddammann@bol.com.br | 152.84.199.19

    Seu comentário, que inicia com

    Estão abafando motivos religiosos nas notícias….


    Foi limado, como foram os quatro anteriores e serão os posteriores.

    Parece perseguição, pô!
    Apaixonou? Nem adianta, meu caro: meu namorado é um cara muito bravo, e eu sigo a mesma linha dele, capisce?

    Faça um blog para você e esqueça a url do meu endereço, ok?

    Ciao, ciao

  3. 3 haddammann veron

    Se tiver espaço …
    É a Terra, os seres humanos, e o direito à vida e à liberdade …

    O Triste Selo De Uma Imensa Mentira.
    Insano Jugo, Insana Submissão, Enganosa Mentira.

    O Projeto Passos da Natureza – A plantinha no vendaval.

    Encontrei com o livro de Lauren Slater: Mente e Cérebro, na Bienal do Guarujá. Na página 48, depois de um impressionante relato sobre nosso comportamento (humano) parei numa declaração aterrorizante. Lá estava: o mais normal de qualquer um de nós é capaz de machucar letalmente outra pessoa sendo mandado por uma autoridade.
    Aí, olhei e vi estalando na minha mente os flashes das frases “Entregue sua alma a nós”; mas esse “nós” substituído pela inescrupulosa psicologia de canalhas parasitas de nossa ingênua e humana boa-fé, vi esse “nós” substituído pelo nome Jesus.
    De repente, vejo ali naquela página uma situação do que vivenciei atônito, estarrecido; com a covardia insana que estourou sobre a cabeça, as costas, a vida, das garotas do Projeto Passos da Natureza – Brasil.
    O que a servidão religiosa é capaz de cometer.
    Como, COMO, que tão tamanha ignomínia era capaz de fazer uma mães ensudercerem à vozes das próprias filhas, mesmo diante das lágrimas dos olhos delas?. E mais uma, mais uma; e os canalhas senhores das mentes que se apossaram, descaradamente hipócritas, rindo, bem-vestidos, sem nenhum escrúpulo para mentir, dizendo às mães as normas, as frases, bem treinadas por eles para “trabalhar” os que descuidadamente abriam e abrem as portas de seus ouvidos para eles.
    Há tempos atrás, pequenos testes de reflexão eram feitos por pequeninos de 6, 5 anos de idade. Um rapaz construía nos papéis os passos que fariam o Jogo do Século XXI.
    O homem está feito. Os esforços estão sendo levados adiante. Todos gostam. Amor e Justiça, Beleza e Mérito, tudo se combina. As mães adoram, as garotas amam, os garotos admiram, os idosos respeitam. E o que acontece? Você é visitado pelos “mandantes das vidas das pessoas no mundo”. Eles dizem: “Submeta-se a nós”; você os convida a sair do seu local de serviço; eles riem de soslaio e prometem “Deus não vai deixar você ir adiante”. Dali para a frente eles entram como loucos na vida de cada pessoa próxima, e até minimamente próxima, ao trabalho que estava sendo desenvolvido. É o caos, a discórdia, a injúria. A desfaçatez é tanta que eles têm a salafrária cara de dizer para garotos e garotas: “Isso é sonho”; “Não vai dar em nada”; “Ciência é coisa do diabo”; “Estudar deixa maluco”; “O nome desse homem de trás para frente é o nome do demônio”; “Ele não trabalha”; “Ele é gay”; “Ele é louco”; “Ele é tarado”; “Ele dá drogas para os garotos”; “Ele separa as famílias”…
    O resultado disso é uma catásfrofe. O que era para ser uma referência de educação integral é jogado como lixo; o autor do Projeto Passos da Natureza é perseguido, vigiado pelo séquito deles, pais e mães prometendo “morte”; e irmãs e irmãos batendo a porta na cara.
    Aqueles que com suas psicologias ensinam a “jogar verde”, a vigiar pessoas em nome de um “Deus Tremendo”; esses são os que sabem porque uma Bienal de livros é tão menos visitada do que qualquer “cultinho fervoroso”. Num só lugar, num só instante, tanta coisa é esclarecida. Livros e livros com esforços de muitos, são quase que menosprezados, se for considerado os inumeráveis e lotados “pontos de pregação”. “Pontos de pregação” que sugam das pessoas a vida, afastam-nas dos esforços da espécie para instruir as pessoas para sua própria melhoria. E as riquezas de nossos trabalhos são entregues a eles (que as passam em funil para só pingar para nós um pouquinho do que eles podem manipular) para aumentarem suas opulências, e suas autoridades, que nos tiram o direito à liberdade, à escolha, nos tiram o dinheiro que nos daria ruas limpas, escolas eficientes, hospitais prontos, entretenimentos legítimos e saudáveis. Nós sustentamos parasitas que nos mandam, que destroem filhos e filhas que não se sujeitariam a eles. Assim nos enganam a culpar governos, a culpar-nos uns aos outros, e a nos destruirmos; enquanto eles comem e dormem tranqüilos protegidos pelos submissos que estão sob seus comandos e que os ajuda a enriquecer e oprimir quem ou o que possa só tentar mostrar o tamanho da mentira que sustenta suas mordomias.
    O governo e nós somos responsáveis. Temos que levantar a Justiça de uma vez por todas contra essa covardia que tem assolado o mundo. É inadimissível que cada um de nós sustente tantos (milhares e milhares de) canalhas preguiçosos, que tornam nossos braços e mãos e pernas e mentes, armas e objetos para a proteção e enriquecimento deles, enquanto a Terra agoniza , a Sociedade chora.
    Estranha é a maneira da Natureza nos instruir.
    Um bandido que chega numa hora que você está desesperado, com o interior inteiro em revolta, ao escutar que você quer pegar uma metralhadora e entrar num covil “santificado” desses parasitas e despejar bala na cara deles lá dentro, diz a você: “Não faça isso, é o que eles querem, essa não é a sua vida”. O bandido mostra a pujança de nossa espécie. Bandidos são filhos e filhas de alguém. Aí você vê linhas da vida que fizeram nossa espécie sobreviver a toda canalhice até aqui. E você chora, porque é assim a lição do verdadeiro e infinito poder orientador. O bandido tem mais escrúpulo do que os que incitam a Justiça a mata-los.
    A Lógica Espacial que fundamenta a Meritocracia indica em cada premissa a paradoxal performance da Justiça (que rege o ESPAÇO). E ali naquele instante a claríssima virtude da Vida se mostra. Enquanto os “digníssimos” instruem seus irmãos e irmãs a encherem sua cara de bala com suas sofisticadas psicologias, a vida lhe diz que eles não têm legitimidade alguma.
    São usurpadores. Usurpam o direito dos cientistas transmitirem conhecimentos à espécie. Usurpam o direito do repórter comunicar os fatos sem serem transtornados. Usurpam o direito do professor ensinar. Intrometem-se nas artes, nos esportes, na música, e jogam suas tontices nos direitos subvertendo a lei aos seus “formatos”.
    Sim, “formato”, porque quando garotos chegam em casa e dizem: “Mãe, vou fazer parte de um esporte”; a mãe corre na igreja e o “cheio de autoridade” diz: “Não é o nosso “formato”. Aí inventam-se mil desculpas, e ninguém faz o que eles ainda não “arrumaram” para tudo continuar “na disciplina deles”.
    A vigarice psicológica é tanta que chegam a justificar com deboche para apaziguar os advogados que “se o mundo fosse legalzinho, sem tormento, os advogados não teriam trabalho”. Os pulhas, os velhacos, caçoam. Há milhões de oportunidades de negócios para os advogados atuarem, não é preciso haver irrefreável violência e crimes para a Justiça servir. Eles pensam que os homens brasileiros são todos “otários”. São uns loucos tomando direções de colégios, se enfiando em universidades para falar de sexo. Suas retóricas “capacitadas” são subreptícias quando não são risíveis e fomentadoras de lascívia disfarçadas de “acompanhantes da modernidade”. As pessoas que confiam seus filhos aos que eles “capacitam” não têm noção de onde saíram os lacaios que com eles se amancomunam, os bonecos treinados que vigiam as pessoas na sociedade, dando a elas impressão de que “tudo está bem”.
    Vi a minha infância sacudida pelo intrometimento deles na minha casa. Evangélicos das Assembléias de Deus e Batistas talvez sejam os que mais causem repulsa a uma pessoa sã. Nenhuma escola diz que um homem que descobriu uma importante vacina que imunizou definitivamente os seres humanos de uma doença terrível foi tirado de dentro de sua casa com mulher e filhos e espancados e trucidados pelos batistas, “porque o homem ía injetar um líquido do demônio no corpo dos filhos das pessoas”. Sofismas, difamações, frazezinhas. Eles repetem-nas nas horas certinhas, nos ouvidos assustados, e lançam os espavoridos nas ruas à caça dos que eles querem destruir. São esses os que confiamos a nossa companhia, são esses os que estão tomando as creches, as associações de moradores, as “obras assistenciais” que nunca vêem e nunca têm o suficiente para diminuir os mendigos e crianças que vagueiam à noite nas ruas; enquanto os “bons de oratória divina” dormem refestelados e “santificados” à noite.
    Ninguém nunca soube como eles operam, qual o estratagema deles, para ludibriar por tanto tempo os cidadãos na sociedade humana. Mas um garoto levou uma vida para descobrir isso. E foi bobo, ingênuo, e burro, e injustiçado, para escrever isso.
    Um garoto de 10 anos de idade entra em sua casa. É dia dos pais. O menino tem um canudinho dado pela escola nas mãos. O canudinho tem um bonito laço e uma mensagem bonita escrita. A casa está vazia. O portão está aberto. A casa está toda aberta. Uma sensação esquisita invade o garoto. Sua casa está devassada. O que está acontecendo? …
    O corredor está cheio de sangue, as paredes têm manchas de mãos com sangue; um silêncio … mas parece que ele ouve uma tormenta ali … Seu pai e seus irmãos brigaram, houve esfaqueamento, pás, socos, gritos …
    “Juro que vou descobrir tudo que fez isso” …
    Daquele dia em diante o garoto estudou tudo que via pela frente. O silêncio, o amargo, e a dor, estiveram calados dentro dele.

    Haddammann Veron Sinn-Klyss
    abril de 2007

  4. Fátima, achei demais essa figura, onde vc consegue essas raridades. As matérias também são de primeira. Gostei e voltei.Beijinhos.