Sobre Heróis e Deus(es)

11fev08

Capa da Revista “A Liga Extraordinária”

1) Introdução:
Esta noite a rede bobo de televisão transmitirá o filme “Liga Extraordinária”, que eu adoro por reunir duas coisas que gosto: Literatura e HQ. É o filme uma livre adaptação da revista homônina escrita por Alan Moore e Kevin O’Neil , cuja sinopse segue abaixo:

Estamos em 1898. Uma grande ameaça paira sobre a Inglaterra. Na tentativa de eliminá-la, são chamados Wilhemina Murray e o Capitão Nemo, com a missão de reunir algumas pessoas que são, digamos assim, extraordinárias, para combater o perigo.

A tarefa não é nada fácil, pois todos os convocados relutam em aceitar participar. Alan Quatermain, o aventureiro, é um viciado em ópio. Dr. Jeckyll é um assassino cruel. O Homem-Invisível, corrompido pelo poder, abusa de seu estado. Enfim, após muitas dificuldades, a equipe está reunida, e ficamos sabendo quem é o cruel inimigo. Mas isso, você só vai saber na última página, lendo a edição e prestando bastante atenção ao último quadrinho.

As personagens indicam onde o filme/revista misturam literatura com quadrinhos:

Allan QuartermainCapitão NemoDorian GrayDr. HydeInvisible manMina HackerTom Sawyer

• Allan Quartermain: personagem do livre “As Minas do Rei Salomão”, é um velho aventureiro, cansado e alquebrado, viciado em ópio, que não deseja se envolver em mais nenhuma aventura,
• Mina Harker: personagem retirada do livro de Bram Stocker – Drácula é a mulher por quem Drácula se apaixonou. Nos quadrinhos, ela é recatada, discreta e de temperamento forte, chegando inclusive a usar o nome Mina Murray (que seria seu sobrenome de solteira), para evitar associações com seu passado. Mina é quase uma feminista, sempre se confrontando com o machismo de Quartermain. Nos quadrinhos, ela, aparentemente não possui poderes, enquanto que no filme, é ela uma vampira capaz de se transformar em morcegos e ter seus ferimentos cicatrizados rapidamente,
• O Capitão Nemo: personagem criado por Júlio Verne, no livro “Vinte Mil léguas Submarinas”, é um grande inventor, um homem à frente de seu tempo, cujo passado suspeito e o destino o colocarão junto à Liga. À exceção dos seus golpes de Kung Fu, no filme, ele é praticamente o mesmo personagem. embora o Nautilus do cinema seja um gigantesco submarino branco com inspiração art-noveau, bem diferente das HQs.
• Mr. Hyde: personagem criado por Robert Louis Stevenson, no livro “O médico e o monstro”, tanto no cinema quanto nos quadrinhos, é transformado no assassino da Rua Morgue (o conto de Edgar Allan Poe).
• Hawley Griffin (chamado de Rodney Skinner no filme): personagem criado por H.G.Wells, na novela “O homem invisível”, é ele verdadeiro crápula. No livro de H. G. Wells, ele se deixa corromper pelas oportunidades. Nos quadrinhos também é assim. No cinema ele se apresenta desta forma, mas existem diferenças. A menos importante delas é seu nome: Rodney Skinner.
• Dorian Gray: personagem criado por Oscar Wilde, no livro “O retrato de Dorian Gray”, infelizmente no filme não ficou muito bem caracterizada a decadência moral de Dorian, seu hedonismo e egocentrismo.
• Tom Sawyer: personagem de Mark Twain no livro “Tom Sawyer”. Nos livros de Mark, Tom não passa de um garoto ávido por aventuras (infantis) e que deseja ser livre como imagina ser seu amigo Huckleberry Finn, enquanto que no filme é ele um jovem cowboy, quase tão bom atirador quanto o Alan. A única semelhança entre as duas personagens (do filme e do livro) seria a avidez pela aventura.
O que teria eles em comum e mais: o que teria eles em comum e que interessariam à presente postagem?

Simples e o título do filme já o diz: são eles ‘extraordinários’, extra+ordinários=acima do comum, acima dos demais humanos, quer seja por seus talentos, quer seja por seus poderes.

Anúncios

Páginas 1 2 3 4 5 6



4 Responses to “Sobre Heróis e Deus(es)”

  1. Revy :

    Oi, amigão! 🙂

    São tantos assuntos que conversamos no MSN, que lembrar do teor de todas as conversas me é praticamente impossível!

    Mas lembro vagamente de havermos abordado o assunto, por certo.

    Obrigada pela visita e Grande beijo,
    Abraços fraternos, quais caramelos!
    (ah, você já sabe 😉 )

  2. 2 Rev. Peterson Cekemp

    Post ótimo, Fátima, ótimo. Justamente o que comentávamos outro dia no MSN, lembra-se?

  3. André:

    Obrigada pela complementação e pelas indicações.
    😉

    Aos leitores:
    Em buscas pela net encontrei os livros indicados, seguem os links:

    a) O Poder do Mito: http://www.esnips.com/doc/109f7a4d-02f6-40ad-b66e-9ee53c9d3a0c/Joseph-Campbell—O-poder-do-mito

    b) O Herói de mil faces
    b.1) inglês = http://www.esnips.com/doc/127157b8-45fa-494d-860c-6a20c6d21bee/Campbell,-Joseph—The-Hero-With-A-Thousand-Faces-Ocr
    b.2) espanhol = http://www.esnips.com/doc/6539c76f-370b-4e79-a7ad-73e924586280/Campbell,-Joseph—El-héroe-de-las-mil-caras-%5Bdoc%5D

    c) As máscaras de Deus (em inglês: http://www.esnips.com/doc/df60efa6-51fa-4dd4-9ff3-19c75ee482f6/Campbell,-Joseph,1-1904-1987-primitive-myth-masks-of-the-gods

    Da Karen não encontrei disponível na net; quem quiser terá de colocar a mão no bolso! 🙂

    Abraços a todos!
    😉

  4. Sempre me chamou a atenção as observações de Joseph Campbell. Campbell foi um dos mais renomados mitologistas e suas obras são muito importantes. Ele cunhou o que se pode chamar de “trajetória do herói”, que pode ser visto em muitas narrativas, histórias, cânticos e até na moderna literatura e nos filmes cinematográficos. Basicamente, esta trajetória seria:

    1. Mundo Comum – O mundo normal do herói antes da história começar.
    2. O Chamado da Aventura – Um problema se apresenta ao herói: um desafio ou a aventura.
    3. Recusa do Chamado – O herói recusa a priori em aceitar o desafio ou aventura, geralmente porque tem medo.
    4. Encontro com o mentor ou Ajuda Sobrenatural – O herói encontra um mentor que o faz aceitar o chamado e o informa e treina para sua aventura.
    5. Cruzamento do Primeiro Portal – O herói abandona o mundo comum para entrar no mundo especial ou mágico.
    6. Provações, aliados e inimigos ou A Barriga da Baleia – O herói enfrenta testes, encontra aliados e enfrenta inimigos, de forma que aprende as regras do mundo especial.
    7. Aproximação – O herói tem êxitos durante as provações.
    8. Provação difícil ou traumática – A maior crise da aventura, de vida ou morte. O clímax da narrativa.
    9. Recompensa – O herói enfrentou a morte, se sobrepõe ao seu medo e agora ganha uma recompensa.
    10. O Caminho de Volta – O herói deve voltar para o mundo comum.
    11. Ressurreição do Herói – Outro teste no qual o herói enfrenta a morte, e deve usar tudo que foi aprendido.
    12. Regresso com o Prêmio – O herói volta para casa com o prêmio, e o usa para ajudar todos no mundo comum.

    Isso é visto até na Bíblia e muitos livros sagrados pois, em última análise, são narrativas heróicas. Percebam que a Bíblia termina num grande confronto Bem x Mal. O Apocalipse!

    Recomendo a leitura das obras: “O Herói de Mil Faces” e “As Máscaras de Deus” de Campbell, bem como “Breve História do Mito” de Karen Armstrong.