Moradores de rua

24fev08

 morador de rua

Andando pelas grandes cidades, por todo canto que olhamos, lá estão eles, os ‘Moradores de Rua’. Muitos passam, dão uma rápida ‘bisoiada’ e desviam o olhar.

É uma situação incômoda, difícil de conviver. Certa vez vi um filme (“À primeira vista“) onde um cego, por uma maravilha da medicina voltou à enxergar. Ele andava pelas ruas com a namorada, quando viu um morador-de-rua, perguntou a ela: “o que é isso?”; ao que ela respondeu: “nada”. Ele, inconformado, parou, viu que era um homem e exclamou assustado: “é um homem, um ser humano! Como você pode dizer que não é nada?!?!”.

Não critico a namorada, geralmente estamos tão cauterizados com esse tipo de coisa (do mesmo modo como nos ‘acostumamos’ com pessoas morrendo em filas de hospitais), que acabamos por achando tal coisa comum, ‘ah, não é nada’.

Mas falemos um pouco sobre esta população.

Definições:

a) Lactu sensu: qualquer pessoa que, sem moradia, pernoitam nos logradouros da cidade, nos albergues ou qualquer outro lugar não destinado à habitação. Pode compreender, também, pessoas ou famílias que tendo perdido sua moradia por despejo encontram-se alojadas provisoriamente em abrigos públicos, privados ou morando em domicílios de terceiros. É possível incluir, ademais, as famílias residindo em habitações precárias de qualquer espécie. No Brasil, a definição ampla incluiria, assim, não apenas os albergados e a população que pernoita nas ruas mas, também, os moradores de cortiços e favelas, dada a precariedade de seus domicílios.
b) Strictu sensu: reduz os grupos a serem incluídos, mantendo apenas os albergados e as pessoas que pernoitam nas ruas das cidades, algumas vezes denominados de “núcleo duro” deste heterogêneo conjunto de condições de moradia. Essa a definição de população de rua utilizada no primeiro censo da cidade de São Paulo e na mais recente estimativa dos moradores de rua de Paris ( Marpsat, 1999);

Características:
a) geralmente não dispõem nem de não dispõem de domicílio nem local de trabalho conhecido;
b) procuram as áreas da cidade em que possam encontrar trabalho, alimentos, roupas e abrigo,
c) apenas parte dela utiliza algum tipo de serviço, público ou privado, como albergues, Casas de Convivência ou “sopões”. Pernoitam em praças, avenidas, ruelas , mocós, casarões abandonados, postos de gasolina, cemitérios, carrinhos de “catação” de papelão, sob pontes e viadutos, veículos abandonados e outras formas improvisadas de dormida.
d) não raramente, utilizam pensões com pagamento diário e, alguns, dormem esporadicamente em casas de parentes ou amigos.
e) vários trabalham à noite guardando carros, encartando jornais e em outros tantos “bicos” que a cidade oferece,
f) não necessariamente assumem uma aparência andrajosa podendo, portanto, ser confundidos com as pessoas que compõem o chamado estrato de baixa renda da cidade.
g) muitos utilizam as ruas em busca de anonimato, por problemas com a lei, por questões familiares ou por dificuldades econômicas.

Causas:
São muitas as causas apontadas para que uma pessoa fique reduzida à situação de ‘morador de rua’, entre elas:
a) desemprego,
b) falta de estrutura familiar,
c) problemas com a Justiça,
d) vícios (drogas ilícitas e lícitas, como o álcool),
e) problemas mentais,

About these ads

Páginas: 1 2 3



28 Responses to “Moradores de rua”

  1. 1 jessica

    Gostei muito! estou fazendo um trabalho e acho que esse texto pode me ajudar….

  2. 2 Sebastião dos Santos Cerqueira

    PROJETO “TIRAR MORADOR DE RUA”

    Autoria: Sebastião dos Santos Cerqueira
    Data; 02/07/09

    1. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

    Nas cidades existem pessoas morando nas ruas, pedindo ajuda de todos os tipos e precisamos encontrar fórmulas de resolver estes problemas sociais para atingirmos melhor qualidade de vida para todos.

    Entre as propostas, uma delas, venho divulgando há tempo para ajudar a minimizar os problemas das pessoas que ficam pelas ruas e outras fazendo ponto nas esquinas pedindo esmolas em nome da sobrevivência. A PROPOSTA É APLICÁVEL IMEDIATAMENTE, COM OS ÓRGÃOS JÁ CONSTITUIDOS E APOIO SOCIAL E BAIXO CUSTO.

    A tese defendida baseia-se na premissa de que “Na união da Prefeitura, através da Secretaria de Assistência Social; Do Judiciário, principalmente por meio da Promotoria; Da Policia Militar e Civil”, encaminhando os necessitados às instituições que já cuidam destas pessoas e das sociedades organizadas, para desenvolver um sistema permanente de ações de “VIGILÂNCIA E ALERTA” recolhendo essas pessoas das ruas, gerando qualidade de vida na medida em que serão encaminhadas às instituições que acolherão, dando abrigo, alimentação, cadastrando-as e disponibilizando ao mercado de trabalho as que tenham algum tipo de serviço a oferecer e profissionalizando as outras para um dia serem incluídas no mercado ou as instituições abrigá-las e instruí-las, assim, também, poderão ser empregadas. Não podemos continuar com a permanência delas vagando nas ruas e em nossos bairros.

    2. PRELIMINARES

    A título de contribuição, apresentamos o PROJETO “TIRAR MORADOR DE RUA” nascido da premissa, por acreditarmos que os seus resultados, mesmo que fique aquém das expectativas quanto à qualidade de vida, certamente ampliará significativamente a melhoria para essas pessoas e na melhor convivência em comunidade.

    3. O PROJETO

    3.1 – Objetivos

    - Melhorar a qualidade de vida na cidade, através da corrente da SOLIDARIEDADE a ser implantada pela Secretaria de Ação Social.

    - Promover ações solidárias, individuais e coletivas de forma a estimular atitudes de cooperação mútua, baseada na premissa de “UM POR TODOS E TODOS POR UM” na defesa dos interesses comuns.

    - Diminuir o risco de acidentes, ilícitos nas ruas e melhorar a segurança no trânsito.

    - Aumentar a capacidade e o potencial de Mobilização dos Órgãos públicos, para desenvolver ações e atividades sociais de interesse da comunidade.

    - Divulgar a toda população de que doando dinheiro nas esquinas das ruas e avenidas, só vão aumentar os pedintes, afastando as pessoas inconscientes até do trabalho, em razão de alguns ganharem mais pedindo do que trabalhando, portanto, não deve doar, principalmente dinheiro nas ruas, procurem uma instituição e doem para que os auxílios possam ajudar a resolver os problemas sociais e não doando nas ruas para aumentá-los.

    3.2 – Metodologia

    - Aprovar normas que disciplinem a responsabilidade de cada órgãos, aos quais serão atribuídas as atividades de:

    3.2.1 – A PM e Policia Civil encaminhará essas pessoas para as devidas instituições adequadas a cada caso. Os meninos de rua para a Casa da criança, por exemplo; os idosos para a casa dos idosos; os transeuntes para albergues, etc, onde ao chegar serão cadastrados com todas informações pessoais e profissionais para os casos que couber.

    3.2.2 – A Promotoria, incumbe de fazer encaminhamentos ao Juiz competente para fazer obedecer as normas e trabalhar no convencimento de adesão dos MORADORES ao PROJETO.

    3.2.3 – Os Órgãos responsáveis pela manutenção dos internos, devem organizar-se para obter adesões dos moradores e entes públicos na manutenção dos projetos.

    3.2.4 – A Secretaria de Ação Social, responde pela manutenção do projeto e coordena a distribuição dos recursos.

    – A prefeitura divulga os benefícios do trabalho junto a sociedade e destina recursos, sempre mostrando aos munícipes as vantagens dos Projetos.

    4 – IMPLEMENTAÇÃO DA VIGILÂNCIA SOLIDÁRIA

    A PARTICIPAÇÃO neste projeto é muito importante porque a VIGILÂNCIA SOLIDÁRIA acabará sendo feita durante as 24 horas do dia, abrangerá todas as ruas, terá baixo custo em relação as vantagens que gerará e todos os moradores serão seus próprios VIGILANTES, por estar atentos, ligados informando os órgãos competentes através dos telefones disponibilizados, como: 190 e outros que devem ser divulgados.

    Os Órgãos interessados em participar do Projeto “TIRAR MORADOS DE RUA”, deverá PREENCHER A FICHA DE ADESÃO, entregá-la a Secretaria de Ação Social e formar a Corrente da Vigilância Solidária principalmente na SUA ÁREA DE ATUAÇÃO.

    4.1 – O QUE FAZER

    Preparar uma lista com os NOMES, ENDEREÇOS e os TELEFONES das instituições responsáveis em cada caso, fazer uma corrente e quando necessitar da autoridade competente para cada caso acionar através dos telefones divulgados.
    Anotar nesta lista o Telefone da POLICIA MILITAR, da delegacia que atende a região, da Corregedoria para PM e da Polícia Civil, de Órgãos recebedores de denúncias, etc.

    4.2 – QUANDO FAZER

    Sempre que encontrar pessoas nas ruas pedindo esmola ou vagando com destino ignorado e/ou não ser residente no município.

    4.3 – COMO FAZER

    A PM aborda as pessoas e quando for o caso encaminha às instituição competente.
    A população liga para os telefones divulgados e fale, com responsabilidade, das suspeitas e chame a polícia para abordar a pessoa.

    5. ANEXOS
    1. Ficha de ADESÃO
    2. Identificação da Instituição que cuida das pessoas
    3. Identificação dos Órgãos responsáveis pela implementação

    FICHA DE ADESÃO AO PEOJETO “TIRAR MORADOR DE RUA”

    1. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

    CNPJ……………………………………………………………………..

    Nome:……………………………………………………………………

    Endereço: ……………………………………………….. nº ……….

    Bairro: …………………………………………. CEP ………………..

    Tel: ………………………………… Cel………………………………

    Endereço de e-mail: ………………………………………………..

    2. Informações Complementares

    ……………………………………………………………………………..

    São José do Rio Preto, …./…../2009.

    _________________________
    Nome do Responsável
    CPF.

  3. 3 Paola Navajas

    Olá estou escrevendo minha monografia sobre os moradores de rua de Ribeirão Preto e gostaria de saber mais autores que discutem sobre esse assunto, pois infelizmente a nossa bibliografia é pobre quando se fala de uma população totalmente excluída. Espero que possa me ajudar.
    Obrigada

  4. 4 IvonízioJesusAndrade

    Me interessei muito por tudo que ví aqui.Temos um pequeno
    grupo que realiza um pequeno trabalho com esse irmãos nossos que habitam na rua.Conhecemos mais ou menos de perto algo de suas vidas.É preciso que descruzemos os braços e abramos nossos corações em prol destas pessoas.
    Há muito tempo realizamos este trabalho,mas nos sentimos impotentes para prestar algo mais relevante a eles.Mas temos fé em Deus que haveremos de chegar lá,com este ideal.
    Abraços fraternais.Muita Paz.
    Deus dê muita força pra toda essa gente.

  5. hello my name is oculto how are you?? bye bye god bye

  6. Obrigado por voces estarem aí…………………………
    Poucos são os que se importam, pois não dá mérito e é um trabalho árduo, precisa mesmo é de AMOR pelas vidas.
    VALEWWWWWWWWW

  7. 7 bruna matildes

    moradores de rua:escolha ou necessidade?

  8. 8 Ravno

    Há uma grande diferença sobre pessoas morrendo em filas de hospitais e moradores de rua, nos dois casos, claro, nós brasileiros estamos conformados e não exigimos nossos direitos… mas no caso dos moradores de rua, muitos estão lá pq gostam da vida fácil… não estou generalizando, mas muitos são assim sim… e não dá pra ficar “ajudando” pois hoje em dia a quantidade tem sido tão grande que fica irreal… além do que, é obrigação do governo que já leva grande parte do nosso salário com a obrigação de cuidar desses temas…
    Outro ponto é as pessoas de baixa renda e sem instrução, que mesmo sem condições financeiras tem filho atrás de filho… seja por inconsequencia, seja por querer aproveitar os planos do governo que os favorece por quanto mais filhos tiverem… e até mesmo para jogar as crinças na rua exatamente para pedir… e aí é assim que elas ficam… jogadas por aí…
    Exatamente por isso não dou mais nenhum centavo na rua… não farei parte do incentivo… o máximo que faço é fazer o que posso para forçar o governo a utilizar corretamente os nossos impostos… seja com protestos, seja com denuncias, seja juridicamente… dá mais trabalho, não acham? Mas é muito mais fácil dar “uma esmolinha”, não é mais cômodo???
    (só ilustrando, estava saindo de um restaurante, e parei para beijar minha noiva, enquanto estavamos nos beijando, um menino de rua, já muito doido com um potinho de cola, puxa minha blusa pra interromper e perguntar, “dá uma moedinha aí, tio”, é brincadeira?!? No caminho pra casa ainda fomos abordados por ainda mais 3 pessoas, entre meninos e homens feitos com as mais diversas histórias… moro no Rio de Janeiro… e depois de todas as ações que tem sido feitas na Zona Sul, todos os moradores de rua estão se movendo para zona norte, o que tem aumentado e muito seu numero)

  9. 9 Lorenzza

    Boa tarde, estou montando um artigo científico sobre moradores de ruas…Vou aplicar HTP (teste psicotécnico) em todos que eu encontrar e que queiram colaborar com o meu trabalho e vou publicar cientificamente. Adorei tudo que li aquii inclusive as informações preocupações de pessoas que postaram aqui. Obrigada!

    • Cara Lorenzza
      Caso vc seja de São Paulo/Capital e ainda esteja trabalhando na sua pesquisa, posso colaborar te apresentando alguns moradores de rua assistidos no meu projeto. Tenho muito interesse em manter contato com o meio acadêmico que trabalha com esse tema.

  10. 11 Hana

    PF podem me responder uma pergunar que ninguem consegue me responder, o que morador de rua tem a ver com geografia?

  11. 13 rui

    cole nosso nome e rui , emerson du colegio bahia

    temos 15 anos gostamos muito achamos interesante a noticia.

  12. 14 a. PAIVA

    Essas Pessoas, Precisam de nossa ajuda, pois eles são gente como nós somos, eles são nossos irmãs, mias infelizmente o povo já se acostumou com esse tipo de coisa, e iguinoram, fazem eles de lixo, mais eles não são, PARA DEUS ELES SÃO TÃO IMPORTANTE COMO NÓS, POIS O QUE PESA NÃO É O DINHEIRO, STATUS, MAIS SIM A ALMA DELES, ASSIM DIZ NA BIBLIA “Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.” precisamos nos consentizar que precisamos fazer um pouco de cada lado para que essas pessoas mudem de vida e saiam do estato em que estão. DEUS OS ABENCOE.

  13. 16 livia

    e que estou fazendo um trabalho escolar!

  14. 17 livia

    quem escreveu este comentario?

  15. 18 Ana

    Vá ao Serviço Social de sua cidade e procure o setor de itinerante, todo cidadão tem direito e é de graça.

  16. 19 isadora

    gostei Muito

  17. 20 Eliezer Silva Santos

    porfavor socorro

  18. 21 Eliezer Silva Santos

    por favor presciso tirar o documento de um morador de rua, pois para o mesmo ir para uma clinica prescisa ter documento,e o mesmo nao tem por favor me sjude se alguem ler este pedido que Deus lhe abençoe, meu telefone é 24587106.

    • Se vc mora em São Paulo, procure o Poupa-tempo mais próximo; se em outros Estados, procure um Cartório (de registro civil).

    • 23 alexandra

      oi Eliezer…lí o seu pedido e acho que posso te ajudar…independente de onde vc morar deve ter por perto um Centro de Referência da Assistencia Social CRAS, lá eles podem encaminhar para que possa ser tirado todos os documentos ou um CREAS Centro de Referencia Especializado da Assistencia Social!!! Boa Sorte!!!

  19. 24 Eliezer Silva Santos

    Bom dia como conseguir tirar a segunda via de documentos de moradores de rua

  20. 25 flavio

    esta materia eé muito boa

  21. 26 ANA

    Li a sua cronica e gostei muito. Já agora qual é a sua opinião a cerca dos imigrantes de Leste?

  22. Dai:

    É um grande prazer e alegria recebê-la.
    Sê bem-vinda!
    :)

    Beijão!

  23. Gostei do espaço. Voltarei com calma pois tudo aqui é muito interessante, como era de se esperar.

    Beijo, minha amiga :)



Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.